Para secretário de segurança do RJ, projeto 'Geração UPP' é o 'Bope da transformação'

Leonardo FabriBeltrame recebeu policiais e alunos da Geração UPPBeltrame recebeu policiais e alunos da Geração UPP
Em meio à triste história do menor de 16 anos que esfaqueou e matou o médico Jaime Gold no bairro da Lagoa, Zona Sul do Rio de Janeiro, o secretário de segurança do estado, José Mariano Beltrame, recebeu nesta quinta-feira, na sede da Secretaria, alunos da "Geração UPP", projeto criado em 2011 e que atende crianças e jovens de mais de 30 comunidades pacificadas da cidade. Com aulas de jiu-jitsu, judô e Karatê ministradas por policiais militares, a equipe já conquistou inúmeras medalhas em competições de artes marciais. Beltrame reconheceu o papel dos policiais e exaltou a importância das artes marciais como ferramenta de socialização.
 
"São os verdadeiros heróis anônimos dessa história, pois além de desenvolver o trabalho de polícia, também transformam vidas. E esse é o que o país precisa: gerar uma perspectiva nas crianças, um encanto para a juventude, que seduza elas a ir para outro caminho que não o do crime. Vimos o exemplo de um jovem de 16 anos com 15 passagens pela polícia e fez o que fez. Claro, se a gente discutir o que a aconteceu, a gente vai acabar em polícia e essas coisas. Mas isso só vai terminar no dia em que se abordar as causas do porquê que isso aconteceu. É o mesmo de sempre: pessoas sem perspectiva, sem atendimento social, sem atividade esportiva. E a pessoa ociosa ela acaba tendendo para aquilo que está mais fácil, aquilo que está mais perto dela. Então eu acho que o trabalho de vocês é, sem dúvida nenhuma, é um trabalho de salvar vidas. Vocês estão criando perspectivas para essas pessoas".
 
O secretário de segurança ainda ressaltou que, ao todo, existem 86 projetos sociais em parceria com as Unidades de Polícia Pacificadora - 53 são de artes marciais, todos apoiados pela Legião da Boa Vontade (LBV), Super Rádio Brasil, Prime Esportes, Boomboxe e Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude. O sucesso da ação reflete nos resultados das competições. No principal torneio de arte suave do país, o campeonato brasileiro da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ), realizado no inicio do mês, os alunos do projeto faturaram 66 medalhas - 29 de ouro, 21 de prata e 16 de bronze, e conquistaram os troféus de primeiro lugar nas categorias mirim e infanto juvenil.
 
Assista ao discurso de José Mariano Beltrame no vídeo abaixo: