Em encontro com atletas do projeto "Geração UPP", Beltrame destacou o esporte como ferramenta para inclusão social.

Lisias Macedo | 22/05/2015 às 15h54 - sexta-feira | Atualizado em 25/05/2015 às 14h31

Rio de Janeiro, RJ — O secretário de Estado de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, recebeu na tarde de quinta-feira, 21, parte da equipe do projeto Geração UPP, campeã brasileira de Jiu-Jítsu pela Confederação Brasileira de Jiu-Jítsu (CBJJ). A iniciativa é desenvolvida nas comunidades em que atuam as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), e conta com o apoio da Legião da Boa Vontade (LBV)Super Rádio Brasil, Team Nogueira, Prime Esportes, Boomboxe, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretarias de Estado de Esportes, Lazer e Juventude e de Segurança Pública.

Priscilla Antunes
O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame (ao centro), cumprimenta os atletas mirins, campeões brasileiros de Jiu-Jítsu.

Durante o encontro, ocorrido na sede da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro, a garotada conversou com o secretário e fez uma breve apresentação das aulas de artes marciais praticadas no projeto. Na oportunidade, Beltrame ressaltou a importância da ação, que beneficia cerca de nove mil crianças, adolescentes e jovens de mais de 35 comunidades cariocas, garantindo oportunidade aos participantes, afastando-os da violência.  

“Esse é o grande valor agregado ao processo da pacificação: criar perspectiva para crianças e para a juventudeE a LBV, com esse projeto de artes marciais, foi um dos pioneiros nessa caminhada. E, tanto foi que, hoje já se produz campeões brasileiros, uma quantidade expressiva de jovens que têm a possibilidade de disputar campeonatos e galgar suas metas dentro do ranque das confederações”, disse Beltrame.

Priscilla Antunes
Na foto, o secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro está rodeado pelo soldado Christian Ribeiro, coordenador de artes marciais das UPPs, e Pedro Paulo Torres, diretor de Relações Institucionais da Super Rádio Brasil.

No projeto, os participantes recebem alimentação, salas modernas com equipamentos de ponta, passeios culturais e palestras sobre cidadania, além de materiais esportivos como quimonos e tatames. “Este é, sem dúvida, o grande objetivo que a pacificação quer: proporcionar que instituições façam o que a LBV está fazendo, criando perspectiva, criando possibilidades para essas pessoas que não seja a de optar pelo caminho fácil do crime”, comentou.

Ao final do encontro, o secretário definiu a ação como uma prática que atua na prevenção da violência, envolvendo crianças e adolescentes. “Este tipo de trabalho que a LBV prega é de prevenção, que ataca a causa, muitas vezes o fator motivador da violência. (...) Dentro dessa visão, que é correta, a LBV e seu presidente [José de Paiva Netto] têm feito um trabalho muito bom nesse sentido. Muito obrigado. Espero contar sempre com a colaboração da LBV nessa jornada contra o crime em uma caminhada de perspectiva para a juventude”, finalizou.